2 de Outubro de 2007

HÓSTIA DIVINA

Sabeis Senhor, minha vileza extrema
De horror não tendes, de até mim Hóstia Divina, aspiração suprema
Vinde à minh’alma, que abraçar Vos quer

Se eu neste abraço, oh meu Jesus pudesse
Morrer de amor, morrer de puro amor
Ouvi meu Deus, a minha ardente prece
Oh vinde a mim, oh vinde a mim Senhor

Como o veado que sedento corre
Das águas cristalinas ao frescor
Assim eu corro a ti desfalecida
Com o teu pranto apago o meu ardor.

Do teu amor, as glórias quem me dera
Poder cantar aos Serafins com ardor
Oh! Leva-me depressa para o teu seio
Pois meu desejo é morrer de amor,

Em teu regaço reclinada sinto
As harmonias do eterno altar
Oh! Dos salgueiros já retomo a lira
Pois só quero abraçar-te sem fim.

S.Teresinha do Menino Jesus (padroeira de todos os missionários)

1 comentário:

joaquim disse...

Bem vindo João, na beleza desta oração...

Abraço amigo em Cristo