30 de novembro de 2011

Vivendo o Advento

.
.



Senhor,

quero ser pescador de homens. Espero por Ti, para que me ensines a pescar.

Vem, Senhor Jesus!

Amen.
.
.

29 de novembro de 2011

Vivendo o Advento

.
.



Senhor,

obrigado, porque vejo o que me dás a ver, ouço o que me dás a ouvir, por isso Te espero revestido de esperança.

Vem, Senhor Jesus!

Amen.
.
.

28 de novembro de 2011

Advento - A Tua vontade

Ensina e ajuda-nos a aceitar e a cumprir sempre a Tua vontade.

Na alegria, na dor, em cada momento da nossa vida,
Ensina-nos a cumprir a Tua vontade.

Quando a sabedoria humana quiser afastar-nos do caminho do bem,
Ensina-nos a cumprir a Tua vontade.

Quando quisermos ser os senhores absolutos da nossa existência,
Ensina-nos a cumprir a Tua vontade.

Bom Pai, que com o mistério da obediência
do Teu Filho dilecto fizeste surgir a nossa salvação,
faz com que toda a nossa existência, como a Sua,
seja um «Amen» contínuo dirigido para Ti,
numa confiante e serena adesão à Tua vontade de amor
para que n'Ele, por Ele e com Ele, na suave força do Espírito,
possamos tornar-nos colaboradores do Teu plano de amor
que quer a salvação de cada um dos Teus filhos.
Nós te pedimos por Cristo, o perfeito obediente.
Amen.

*Monjas Beneditinas
do Mosteiro da Ssma.Trindade

Vivendo o Advento

.
.


Senhor

eu não sou digno de esperar por Ti, mas uma só palavra Tua me basta.

Vem, Senhor Jesus!

Amen.
.
.

27 de novembro de 2011

Vivendo o Advento

.
.



Senhor,

estou de vigia! Quero deixar-me encontrar por Ti, quando chegares.

Vem, Senhor Jesus!

Amen.
.
.

26 de novembro de 2011

Preparando o Advento

.
.



Senhor,

a espera por Ti, é a única espera em que o Esperado se faz já presente!

Vem, Senhor Jesus.

Amen
.
.

25 de novembro de 2011

Preparando o Advento

.
.



Senhor,

nós cremos em vós, nós vos adoramos, nós vos amamos, nós vos esperamos.

Vem, Senhor Jesus.

Amen.
.
.

24 de novembro de 2011

Preparando o Advento

.
.




Senhor,

a espera é boa, porque um encontro contigo, é um encontro com o amor!

Vem, Senhor Jesus!

Amen.
.
.

23 de novembro de 2011

Preparando o Advento

.
.



Senhor,

a espera é ansiosa, mas só o é na medida em que o nosso completo desejo é encontrarmo-nos contigo.

Vem Senhor Jesus!

Amen.
.
.

22 de novembro de 2011

Preparando o Advento

.
.



Vem Senhor Jesus,
nós Te esperamos.

Abrimos os nossos corações,
para vivermos este tempo em ansiosa alegria.

Amen.
.
.

21 de novembro de 2011

APRESENTAÇÃO DA VIRGEM SANTA MARIA

.
.



Hino

A imortal Sabedoria
Já Vos escolheu, Maria,
Antes do mundo e da história.
Ó celeste maravilha:
Sois Esposa e sois Filha
Do Senhor da eterna glória.

Oferenda consagrada,
Ao Senhor apresentada
Como incenso vespertino,
Que da terra aos Céus se eleva
E dissipa toda a treva,
Anunciando o Sol divino.

Sois a Porta do Oriente,
Sois a nova Sarça ardente,
Virgem fiel, Santa Maria!
Bandeira do puro amor,
Espelho do Bem maior,
Causa da nossa alegria.

Concebida sem pecado,
Sois o Templo imaculado
Em que o Verbo Se encarnou:
O Espírito de Deus
Sobre Vós baixou dos Céus,
Virgem-Mãe Vos consagrou.

Flor da nova humanidade,
Tesouro da divindade,
Arca da eterna Aliança:
Estrela certa dos povos,
Aurora dos tempos novos,
Manhã clara da esperança.

Rogai por nós lá dos Céus,
P’ra sermos templos de Deus,
Em espírito e verdade:
Templos onde se levante
Louvor e glória constante
À Santíssima Trindade.


Ant. Bened.

Bendita sois Vós, ó Maria, que acreditastes: há-de realizar-se tudo quanto Vos foi dito da parte do Senhor. Aleluia.


Oração

Ao celebrarmos a memória gloriosa da Virgem Santa Maria, fazei, Senhor, que, por sua intercessão, mereçamos participar da plenitude da vossa graça. Por Nosso Senhor.


Das Laudes de hoje.
.
.

20 de novembro de 2011

NOSSO SENHOR JESUS CRISTO, REI DO UNIVERSO

.
.




Hino

A Vós, Senhor, ao vosso nome santo,
Deus, luz da luz, supremo Redentor,
A Vós, perfeita imagem de Deus Pai,
Honra, glória e louvor.

A Vós, que sois o esplendor dos séculos,
Centro dos mundos, pelos tempos fora,
A Vós, Senhor e Rei do universo
A terra inteira adora.

Se a força do inimigo nos oprime,
O vosso Sangue dele nos liberta.
Sois o Verbo de Deus, a Tenda branca
De porta sempre aberta.

Doutor, Legislador e Sacerdote,
Ó Príncipe dos príncipes reais;
Hossana e glória a Vós, ó Rei dos reis,
Que sobre nós reinais.

Honra ao Pai, honra ao Filho, honra ao Paráclito!
A Deus, que é Uno e Trino, eterna glória,
Porque, no seu amor, ao fim da vida,
Nos promete a vitória.


Salmodia
Salmos e cântico do Domingo I.

Ant. 1 Eis o homem que tem por nome Oriente: sentar-se-á no seu trono para reinar e proclamará a paz às nações.

Ant. 2 Será exaltado até aos confins da terra; Ele será a nossa paz.

Ant. 3 O Senhor deu-Lhe o poder, a honra e a realeza: todos os povos, tribos e línguas O hão-de servir.


Leitura breve                                                                                                             Ef 4, 15-16

Praticando a verdade na caridade, cresceremos em tudo para Aquele que é a Cabeça, Cristo. É por Ele que todo o Corpo, coordenado e unido por meio de todas as junturas, opera o seu crescimento orgânico, segundo a actividade de cada uma das partes, a fim de se edificar na caridade.


Responsório breve

V. Proclamem os santos a glória do vosso reino, Senhor.
R. Proclamem os santos a glória do vosso reino, Senhor.
V. E anunciem o vosso poder.
R. Proclamem os santos a glória do vosso reino, Senhor.
V. Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo.
R. Proclamem os santos a glória do vosso reino, Senhor.


Cântico evangélico (Benedictus)

Ant. O Primogénito de entre os mortos e Príncipe dos reis da terra fez de nós um reino para Deus, seu Pai. Aleluia.


Preces

Oremos, irmãos, a Cristo Rei, que existe antes de todas as coisas e em quem tudo subsiste; e aclamemo-l’O, dizendo:

Senhor, venha a nós o vosso reino.

Cristo, Salvador do mundo, que sois o nosso Deus e Senhor, o nosso Rei e Pastor,
— conduzi o vosso povo às fontes da vida eterna.

Cristo, Bom Pastor, que destes a vida pelas vossas ovelhas,
— orientai os nossos caminhos para que nada nos falte.

Cristo, Redentor do género humano, que fostes proclamado Rei de toda a terra,
— instaurai em Vós todas as coisas.

Cristo, Rei do universo, que viestes ao mundo para dar testemunho da verdade,
— fazei que todos os homens Vos reconheçam como Princípio e Fim de todas as coisas.

Cristo, nosso Mestre e Modelo, que nos transferistes das trevas para a luz admirável do vosso reino,
— concedei que, hoje e sempre, levemos uma vida santa, sem mancha e sem culpa, na vossa presença.


Pai nosso


Oração

Deus eterno e omnipotente, que no vosso amado Filho, Rei do universo, quisestes instaurar todas as coisas, concedei propício que todas as criaturas, libertas da escravidão, sirvam a vossa majestade e Vos glorifiquem eternamente. Por Nosso Senhor.


Laudes de hoje
.
.

19 de novembro de 2011

NOSSO SENHOR JESUS CRISTO, REI DO UNIVERSO

.
.



Hino

Senhor do mundo e Rei dos corações,
A Vós louvor e glória eternamente!

Cristo, Filho Unigénito do Pai,
Seu esplendor, sua perfeita imagem,
Por Vós e para Vós tudo foi feito,
Sois o centro da história e do universo.

Deus de Deus, Luz de Luz, Verbo Divino,
Triunfador da morte e do pecado,
Ao vosso nome todos se ajoelham
Nas alturas, na terra e nos abismos.

A Cruz é vosso trono verdadeiro,
Morrendo conquistastes nossas almas,
Reinais na santidade e na justiça,
Reinais no amor, na paz e na verdade.

Rei dos séculos, Príncipe da paz,
É vosso reino toda a Igreja santa,
Alimentai-nos com o vosso Corpo
E levai-nos ao Reino prometido.


Das Vésperas I
.
.

18 de novembro de 2011

HINO

.
.



Vimos, ao cair da noite,
Confiar-nos, ó Senhor,
Ao poder das vossas mãos.
Sem a vossa protecção,
Tudo perde quem Vos perde.
Só em Vós tudo renasce.
Só por Vós renasceremos
Para a vida de amanhã.

Vai o dia declinando
E só Vós renovareis
O mistério da alvorada,
Recordando em cada aurora
A primeira luz do tempo,
Quando a vossa Caridade,
Infinito amor em acto,
Se exprimiu na Criação.

Noite em noite, a voz do vento
Vem lembrar a vossa voz,
Voz de aviso e de perdão.
Vem lembrar a todo o homem:
Coração que Vos não ame
E não ame os seus irmãos
Trai a vida que lhe destes
E naufraga na mentira.

Vosso espírito de fogo,
Que desceu de além das nuvens,
Não se extingue sobre as águas.
Assumindo a nossa carne,
Vos fizestes companheiro
De quem anda sobre a terra
E rasgais aos nossos passos
Os caminhos da alegria.

Não deixeis de estar, Senhor,
Tão atento às nossas lágrimas,
Pronto sempre a socorrer-nos.
Pois que tudo renovais,
Renovai as nossas forças
Na paixão de Vos servir.
E na paz da vossa graça
Seja vossa a nossa noite.


Hino das Vésperas
.
.

Rezando o Evangelho de hoje

.
.



Mateus 14,22-33.


Depois de ter saciado a fome à multidão, Jesus obrigou os discípulos a embarcar e a ir adiante para a outra margem, enquanto Ele despedia as multidões.
Logo que as despediu, subiu a um monte para orar na solidão. E, chegada a noite, estava ali só.
O barco encontrava-se já a várias centenas de metros da terra, açoitado pelas ondas, pois o vento era contrário.
De madrugada, Jesus foi ter com eles, caminhando sobre o mar.
Ao verem-no caminhar sobre o mar, os discípulos assustaram-se e disseram: «É um fantasma!» E gritaram com medo.
No mesmo instante, Jesus falou-lhes, dizendo: «Tranquilizai-vos! Sou Eu! Não temais!»
Pedro respondeu-lhe: «Se és Tu, Senhor, manda-me ir ter contigo sobre as águas.»
«Vem» disse-lhe Jesus. E Pedro, descendo do barco, caminhou sobre as águas para ir ter com Jesus.
Mas, sentindo a violência do vento, teve medo e, começando a ir ao fundo, gritou: «Salva-me, Senhor!»
Imediatamente Jesus estendeu-lhe a mão, segurou-o e disse-lhe: «Homem de pouca fé, porque duvidaste?»
E, quando entraram no barco, o vento amainou.
Os que se encontravam no barco prostraram-se diante de Jesus, dizendo: «Tu és, realmente, o Filho de Deus!»



Senhor,
afundo-me no mar dos meus "respeitos humanos", das minhas vergonhas, das minhas incredulidades, das minhas fraquezas.

Salva-me, Senhor!
Dá-me a Tua mão!
Aumenta a minha fé!

Quero caminhar contigo, Senhor, sobre o mar de tudo o que me quer afundar.

Creio em Ti, Senhor!
Confio em Ti, Senhor!
Espero em Ti, Senhor!
Sei que não deixarás que me perca, que me afunde, porque:
«Tu és, realmente, o Filho de Deus»
Amen.
.
.

17 de novembro de 2011

HINO

.
.




Com o sol que se levanta,
Nossa voz, Senhor, se eleva,
Para que na vossa graça
Amanheça novo dia.

Moderai a nossa língua,
A mentira não nos manche,
Nem o erro, nem palavras
De ostentação e discórdia.

Seja puro em nosso peito
O coração que nos destes
E jamais a nossa carne
Se torne escrava do mal.

E quando a tarde descer
E quando a noite chegar,
Cantemos a vossa glória,
Esquecendo-nos do mundo.

Glória a Vós, ó Pai eterno,
Glória a Vós, Senhor Jesus,
No Espírito divino,
Pelos séculos dos séculos.


Hino das Laudes
.
.

15 de novembro de 2011

Rezando o Evangelho de hoje - Lc 19, 1-10

.
.



COMO ZAQUEU

Senhor,
subo à arvore para Te ver,
mas estou tão importante,
no meu ser,
que não Te consigo encontrar!

Fixo bem o meu olhar,
mas nada vejo,
porque o meu coração,
cheio de mim,
muito pouco sabe amar.

Por um momento,
vejo-Te,
cruzam-se os nossos olhos,
e eu fico inundado de uma paz,
de uma alegria,
que me enche por completo.

Nasce em mim uma vontade,
de não ser,
como agora sou,
mas de me converter totalmente,
ao que o Teu olhar
me chamou.

Desço de mim,
abro-Te o coração,
dou-Te a chave da minha vida,
para que nela possas morar.

Descanso em Ti,
deixo que me envolvas,
que me ames,
como só Tu
sabes amar.

Acalmo todo o meu ser.

Senhor,
se Tu me habitas e amas,
que mais da vida
posso eu querer?



Monte Real, 15 de Novembro de 2011
.
.

14 de novembro de 2011

Rezando o Evangelho de hoje

.
.



Lucas 18,35-43.

Naquele tempo, quando Jesus Se aproximava de Jericó, estava um cego sentado a pedir esmola à beira do caminho.
Ouvindo a multidão que passava, perguntou o que era aquilo.
Disseram-lhe que era Jesus de Nazaré que ia a passar.
Então, bradou: «Jesus, Filho de David, tem misericórdia de mim!»
Os que iam à frente repreendiam-no, para que se calasse. Mas ele gritava cada vez mais: «Filho de David, tem misericórdia de mim!»
Jesus parou e mandou que lho trouxessem. Quando o cego se aproximou, perguntou-lhe:
«Que queres que te faça?» Respondeu: «Senhor, que eu veja!»
Jesus disse-lhe: «Vê. A tua fé te salvou.»
Naquele mesmo instante, recobrou a vista e seguia-o, glorificando a Deus. E todo o povo, ao ver isto, deu louvores a Deus.



«Filho de David, tem misericórdia de mim!»
Sou cego de coração!
Os meus olhos tantas vezes apenas querem ver o mundo e os prazeres que o mundo tem.
Mas são efémeros, Senhor, esses prazeres.
Só Tu, Senhor, és a vida, e vida em abundância.
Preciso e quero ver mais longe, iluminado pela Tua luz.
Tem misericórdia de mim, Senhor, e dá-me a luz da fé para que Te possa ver em todos, em tudo e em cada momento.
«Senhor, que eu veja!»
Amen.
.
.

Santa Teresa de Jesus

“Vossa sou, Para Vós nasci, Que quereis fazer de mim?”



Ó Grandeza de Deus! Como manifestais o Vosso poder dando ousadia a uma formiga! É certo Senhor, que não é por vossa culpa não fazermos grandes obras, nós os que Vos amamos. É por nossa cobardia e pusilaminidade! Nunca nos decidimos senão cheios de temores e prudências humanas e assim, meu Deus, não operais Vossas maravilhas e grandezas. Quem mais amigo de dar, se tivesse a quem, ou mais amigo de receber serviços à Sua própria custa!
Sta. Teresa de Jesus.

11 de novembro de 2011

S. MARTINHO, bispo

.
.



Memória

Nasceu na Panónia cerca do ano 316, de pais pagãos. Depois de receber o Baptismo e de renunciar à carreira militar, fundou um mosteiro em Ligugé (França), onde levou vida monástica sob a direcção de S. Hilário. Foi depois ordenado sacerdote e, mais tarde, eleito bispo de Tours. Foi modelo insigne de bom pastor; fundou outros mosteiros, dedicou-se à formação do clero e à evangelização dos pobres. Morreu no ano 397.


Invitatório

Ant. Ao celebrarmos a memória de São Martinho, vinde, adoremos o Senhor.


Salmodia
Salmos e cântico do Domingo I.

Ant. 1 Martinho, sacerdote de Deus, entra na alegria do reino de meu Pai.

Ant. 2 Com os olhos e as mãos sempre levantados para o céu, o seu espírito incansável permanecia em oração. Aleluia.

Ant. 3 Martinho foi recebido com alegria no seio de Abraão; Martinho, pobre e humilde, entrou rico no reino dos Céus. Aleluia.


Leitura breve                                                                                                           Hebr 13, 7-8

Lembrai-vos dos vossos chefes que vos anunciaram a palavra de Deus, e, considerando o êxito da sua carreira, imitai a sua fé. Jesus Cristo é sempre o mesmo, hoje e ontem e por toda a eternidade.


Responsório breve

V. Sobre ti, Jerusalém, coloquei sentinelas.
R. Sobre ti, Jerusalém, coloquei sentinelas.
V. Para anunciar dia e noite o nome do Senhor.
R. Coloquei sentinelas.
V. Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo.
R. Sobre ti, Jerusalém, coloquei sentinelas.


Ant. Bened.   Homem ditoso, cuja alma entra no Paraíso! Alegram-se os Anjos, exultam os Arcanjos; o coro dos Santos e a multidão das Virgens o aclamam dizendo: «Fica connosco para sempre».


Oração

Senhor, que fostes glorificado pela vida e pela morte do bispo São Martinho, renovai em nossos corações as maravilhas da vossa graça, de modo que nem a morte nem a vida nos possam separar do vosso amor. Por Nosso Senhor.


Das Laudes de hoje.
.
.

9 de novembro de 2011

Oração na renovação

.
.





Vem,Espírito Santo,
sobre este espaço renovado.

A imagem pode ser dos homens, mas a renovação da oração é a Ti que a confiamos, Espírito Santo.

Tu, ó Espírito de Deus, que nos iluminas e guias, faz deste espaço um local de oração.

Que todos aqui se sintam acolhidos e todos aqui possam rezar em silêncio, ou escrevendo, o que Tu lhes inspiras, Santo Espírito.
Que todos sejamos intercessores, por todos, e que todos se abram á Tua presença de amor que nos converte.

Vem Espírito Santo,
e ensina-nos a melhor conhecer, para melhor amar, ensina-nos a dar melhor, para melhor receber, ensina-nos a melhor orar, para sermos mais comunhão.

Vem Espírito Santo,
ilumina-nos e guia-nos,
para que vivamos a vida que nos dás, sempre,
em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo.
Amen.
.
.

8 de novembro de 2011

SALMO 139 (138) O DEUS OMNIPOTENTE

.
.




1*Ao director do coro. Salmo de David.


SENHOR, Tu examinaste-me e conheces-me,
2*sabes quando me sento e quando me levanto;
à distância conheces os meus pensamentos.
3Vês-me quando caminho e quando descanso;
estás atento a todos os meus passos.
4Ainda a palavra me não chegou à boca,
já Tu, SENHOR, a conheces perfeitamente.
5Tu me envolves por todo o lado
e sobre mim colocas a tua mão.
6*É uma sabedoria profunda, que não posso compreender;
tão sublime, que a não posso atingir!


7Onde é que eu poderia ocultar-me do teu espírito?
Para onde poderia fugir da tua presença?
8*Se subir aos céus, Tu lá estás;
se descer ao mundo dos mortos, ali te encontras.
9Se voar nas asas da aurora
ou for morar nos confins do mar
10mesmo aí a tua mão há-de guiar-me
e a tua direita me sustentará.
11Se disser: "Talvez as trevas me possam esconder,
ou a luz se transforme em noite à minha volta",
12*nem as trevas me ocultariam de ti
e a noite seria, para ti, brilhante como o dia.
A luz e as trevas seriam a mesma coisa!


13*Tu modelaste as entranhas do meu ser
e formaste-me no seio de minha mãe.
14Dou-te graças por tão espantosas maravilhas;
admiráveis são as tuas obras.
15*Quando os meus ossos estavam a ser formados,
e eu, em segredo, me desenvolvia,
tecido nas profundezas da terra,
nada disso te era oculto.
16Os teus olhos viram-me em embrião.
Tudo isso estava escrito no teu livro.
Todos os meus dias estavam modelados,
ainda antes que um só deles existisse.
17Como são insondáveis, ó Deus, os teus pensamentos!
Como é incalculável o seu número!
18*Se os quisesse contar, seriam mais do que a areia;
e, se pudesse chegar ao fim, estaria ainda contigo.


19*Ó Deus, faz com que os ímpios desapareçam;
afasta de mim os homens sanguinários.
20Aqueles que maldosamente se revoltam,
em vão se levantam contra ti.
21Não hei-de eu, SENHOR, odiar os que te odeiam?
Não hei-de aborrecer os que se voltam contra ti?
22Odeio-os com toda a minha alma.
Considero-os como meus inimigos.


23*Examina-me, SENHOR, e vê o meu coração;
põe-me à prova para saber os meus pensamentos.
24Vê se é errado o meu caminho
e guia-me pelo caminho eterno.
.
.

7 de novembro de 2011

Oração na provação

.
.



Senhor,
a Ti, toda a glória e todo o louvor.

Quero louvar-Te em tudo na minha vida, na alegria e na tristeza, na saúde e na doença, na paz e na provação.
Procuro agora, Senhor, a compreensão para a provação.
Por vezes permites que a provação, a dificuldade, toquem as nossas vidas, e tantas vezes nós não entendemos os Teus desígnios, os Teus planos.
Mas depois, Senhor, apercebemo-nos de como essas provações nos recolocam no Teu caminho, como essas provações nos levaram a uma maior vivência do amor em nós e para os outros, como essas provações nos “construíram e uniram”, em vez de nos “destruírem”.
Por isso, Senhor, hoje e sempre louvo-Te também pelas provações, embora possa parecer “louco” aos olhos de muitos.
Mas a “loucura” da Cruz, faz-me “louco” por Ti e em tudo querer perceber a Tua santa vontade.

Amen.
.
.

6 de novembro de 2011

SÃO NUNO DE SANTA MARIA, religioso

.
.


Nuno Álvares Pereira, fundador da Casa de Bragança, nasceu em Santarém (Portugal) a 24 de Junho de 1360.
Como Condestável do reino de Portugal, foi militar invencível; mas, vencendo-se a si mesmo, pediu a admissão, como irmão leigo, na Ordem do Carmelo.
Tinha uma admirável piedade e confiança para com a Santíssima Virgem Maria.
Sentia grande satisfação em pedir esmolas pelas portas, desempenhar os ofícios mais humildes na casa de Deus, e mostrou sempre grande compaixão e liberalidade para com os pobres.
Morreu no domingo da Ressurreição do ano 1431 (1 de Abril).


Ant. Bened.

Cantai hinos de alegria e exultai, porque o Senhor visitou e redimiu o seu povo.


Oração

Senhor nosso Deus, que destes a São Nuno de Santa Maria a graça de combater o bom combate e o tornastes exímio vencedor de si mesmo, concedei aos vossos servos que, dominando como ele as seduções do mundo, com ele vivam para sempre na pátria celeste. Por Nosso Senhor.
.
.

4 de novembro de 2011

S. CARLOS BORROMEU, bispo

.
.


Memória

Nasceu em Arona (Lombardia) no ano 1538; depois de ter conseguido o doutoramento In utroque iure, foi nomeado cardeal por Pio IV, seu tio, e eleito bispo de Milão. Foi um verdadeiro pastor da Igreja no exercício desta missão: visitou várias vezes toda a diocese, convocou sínodos e desenvolveu a mais intensa actividade, em todos os sectores, para a salvação das almas, promovendo por todos os meios a renovação da vida cristã. Morreu no dia 3 de Novembro de 1584.


Oração

Conservai, Senhor, no vosso povo o espírito que animava São Carlos, para que a Igreja se renove sem cessar e, reproduzindo fielmente a imagem de Cristo, possa mostrar ao mundo o verdadeiro rosto do vosso Filho, Nosso Senhor Jesus Cristo, Ele que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo.


Das Laudes de hoje.
.
.

3 de novembro de 2011

Rezando o Evangelho de hoje.

.
.



Evangelho segundo S. Lucas 15,1-10.

Naquele tempo, os publicanos e os pecadores aproximavam-se de Jesus para O ouvirem.
Mas os fariseus e os doutores da Lei murmuravam entre si, dizendo: «Este acolhe os pecadores e come com eles.»
Jesus propôs-lhes, então, esta parábola:
«Qual é o homem dentre vós que, possuindo cem ovelhas e tendo perdido uma delas, não deixa as noventa e nove no deserto e vai à procura da que se tinha perdido, até a encontrar?
Ao encontrá-la, põe-na alegremente aos ombros
e, ao chegar a casa, convoca os amigos e vizinhos e diz-lhes: 'Alegrai-vos comigo, porque encontrei a minha ovelha perdida.'
Digo-vos Eu: Haverá mais alegria no Céu por um só pecador que se converte, do que por noventa e nove justos que não necessitam de conversão.»
«Ou qual é a mulher que, tendo dez dracmas, se perde uma, não acende a candeia, não varre a casa e não procura cuidadosamente até a encontrar?
E, ao encontrá-la, convoca as amigas e vizinhas e diz: 'Alegrai-vos comigo, porque encontrei a dracma perdida.'
Digo-vos: Assim há alegria entre os anjos de Deus por um só pecador que se converte.»



Senhor,
e eu era essa ovelha perdida, da qual nunca desististe até que me deixasse encontrar por Ti.
E agora, Senhor, és a “dracma” que não posso perder, porque apenas Tu, Senhor, és o tesouro da vida que me deste.
Que haja alegria no Céu, por um pecador como eu, que todos os dias procura a conversão.
Amen.
.
.

2 de novembro de 2011

COMEMORAÇÃO DE TODOS OS FIÉIS DEFUNTOS

.
.



Hino

Não há vitória sem cruz:
Pela cruz se vai ao Céu.
Seja a morte apelo à Vida,
Como foi a morte em Cristo.

A Deus pertence o mistério,
Mas o mistério é promessa:
Em Jesus ressuscitado
Também nós ressuscitamos.

Por vossa misericórdia,
Dai-nos, Senhor, a ventura
De entrar na Manhã eterna,
Na glória do vosso Reino.

Deus dos vivos e dos mortos:
Crer em Vós é ter a esperança
De encontrar na luz de sempre
A paz do último Dia.


Salmodia
Ant. 1 Os ossos humilhados exultarão no Senhor.

Salmo 50 (51)

3 Compadecei-Vos de mim, ó Deus, pela vossa bondade, *
pela vossa grande misericórdia, apagai os meus pecados.
4 Lavai-me de toda a iniquidade *
e purificai-me de todas as faltas.
5 Porque eu reconheço os meus pecados *
e tenho sempre diante de mim as minhas culpas.
6 Pequei contra Vós, só contra Vós, *
e fiz o mal diante dos vossos olhos.
Assim é justa a vossa sentença *
e recto o vosso julgamento.
7 Porque eu nasci na culpa *
e minha mãe concebeu-me em pecado.
8 Amais a sinceridade de coração *
e fazeis-me conhecer a sabedoria no íntimo da alma.
9 Aspergi-me com o hissope e ficarei puro, *
lavai-me e ficarei mais branco do que a neve.
10 Fazei-me ouvir uma palavra de gozo e de alegria *
e estremeçam meus ossos que triturastes.
11 Desviai o vosso rosto das minhas faltas *
e purificai-me de todos os meus pecados.
12 Criai em mim, ó Deus, um coração puro *
e fazei nascer dentro de mim um espírito firme.
13 Não queirais repelir-me da vossa presença *
e não retireis de mim o vosso espírito de santidade.
14 Dai-me de novo a alegria da vossa salvação *
e sustentai-me com espírito generoso.
15 Ensinarei aos pecadores os vossos caminhos *
e os transviados hão-de voltar para Vós.
16 Ó Deus, meu Salvador, livrai-me do sangue derramado *
e a minha língua proclamará a vossa justiça.
17 Abri, Senhor, os meus lábios *
e a minha boca anunciará o vosso louvor.
18 Não é do sacrifício que Vos agradais *
e, se eu oferecer um holocausto, não o aceitareis.
19 Sacrifício agradável a Deus é o espírito arrependido; *
não desprezareis, Senhor,
o espírito humilhado e contrito.
20 Pela vossa bondade, tratai Sião com benevolência, *
reconstruí os muros de Jerusalém.
21 Então Vos agradareis dos sacrifícios devidos, †
oblações e holocaustos, *
então serão oferecidas vítimas sobre o vosso altar.

Ant. Os ossos humilhados exultarão no Senhor.

Ant. 2 Livrai-me, Senhor, das portas do abismo.

Cântico                Is 38, 10-14.17-20

10 Eu disse: «Em meio da vida, †
vou descer às portas da morte, *
privado do resto dos meus anos».
11 Eu disse: «Não mais verei o Senhor na terra dos vivos, †
não verei mais ninguém *
entre os habitantes do mundo».
12 Para longe de mim foi arrancada a minha morada, *
como tendade pastores.
Como tecelão, eu tecia a minha vida, *
mas cortaram-me a trama.
De manhã até à noite *
sou consumido.
13 Grito até ao amanhecer, *
como um leão que dilacera os meus ossos;
De manhã até à noite *
sou consumido.
14 Grito como a andorinha *
e gemo como a pomba.
Cansam-se meus olhos de olhar para o alto. *
Socorrei-me, Senhor.
17 Preservastes a minha alma da corrupção da morte, *
perdoastes todos os meus pecados.
18 Nem a morada dos mortos Vos louvará, *
nem a morteVos dará glória.
Para quem desce ao túmulo, *
acaba a esperança na vossa fidelidade.
19 Só os vivos podem louvar-Vos, *
como euVos louvo hoje.
O pai dará a conhecer aos seus filhos *
a vossa fidelidade.
20 Senhor, vinde em meu auxílio, *
e cantaremos nossos salmos,
todos os dias da nossa vida, *
no templo do Senhor.

Ant. Livrai-me, Senhor, das portas do abismo.


Ant. 3 Toda a minha vida louvarei o Senhor.

Salmo 145 (146)

1 Louva, minha alma, o Senhor. *
2 Louvarei o Senhor toda a minha vida, †
cantarei aomeu Deus enquanto viver.
3 Não ponhais a confiança nos poderosos, *
no homem que nem a si se pode salvar.
4 Vai-se-lhe o espírito e volta ao pó da terra *
e assim ficam desfeitos os seus planos.
5 Feliz o que tem por auxílio o Deus de Jacob, *
o que põe sua confiança no Senhor, seu Deus,
6 que fez o céu e a terra, *
o mar e quanto neles existe.
Eternamente fiel à sua palavra, *
7 faz justiça aos oprimidos †
e dá pão aos que têm fome.
O Senhor dá liberdade aos cativos, *
8 o Senhor dá vista aos cegos.
O Senhor levanta os abatidos, *
o Senhor ama os justos.
9 O Senhor protege os peregrinos, *
ampara o órfão e a viúva †
e entrava o caminho aos pecadores.
10 O Senhor reina eternamente. *
Sião, o teu Deus é rei por todas as gerações.

Ant. Toda a minha vida louvarei o Senhor.


Leitura breve                                                                                                            1 Tes 4, 14

Se acreditamos que Jesus morreu e ressuscitou, do mesmo modo Deus levará com Jesus os que em Jesus tiverem adormecido.


Responsório breve

V. Eu Vos glorifico, Senhor, porque me salvastes.
R. Eu Vos glorifico, Senhor, porque me salvastes.
V. Convertestes em júbilo o meu pranto.
R. Porque me salvastes.
V. Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo.
R. Eu Vos glorifico, Senhor, porque me salvastes.


Cântico evangélico (Benedictus)

Ant. Eu sou a ressurreição e a vida. Quem crê em Mim, ainda que tenha morrido, viverá; e aquele que vive e crê em Mim, não morrerá para sempre.


Preces

Oremos a Deus Pai todo-poderoso, que ressuscitou Jesus Cristo de entre os mortos e vivificará também os nossos corpos mortais; e aclamemos dizendo:

Senhor da vida e da morte, salvai-nos.

Pai santo, fazei que nós, sepultados pelo Baptismo com Cristo na morte e com Ele ressuscitados, vivamos uma vida nova,
— para que também, depois da nossa morte, vivamos para sempre com Cristo.

Pai providente, que nos destes o Pão vivo descido do Céu como alimento das almas,
— fazei que tenhamos a vida eterna e ressuscitemos no último dia.

Senhor, que enviastes o Anjo a confortar o vosso Filho na agonia do Horto,
— fazei-nos sentir o conforto da esperança na hora da nossa morte.

Vós que salvastes os três jovens do fogo ardente,
— libertai também as almas do castigo que sofrem pelos seus pecados.

Deus dos vivos e dos mortos, que ressuscitastes Jesus Cristo do sepulcro,
— ressuscitai também os defuntos e dai-nos um lugar junto deles na vossa glória.


Pai nosso


Oração
Deus, Pai de misericórdia, escutai benignamente as nossas orações, para que, ao confessarmos a fé na ressurreição de vosso Filho, se confirme em nós a esperança da ressurreição dos vossos servos. Por Nosso Senhor.



Ofício de Defuntos. Laudes de hoje.
.
.