3 de Junho de 2009

Salmo 7 - Oração de um Justo perseguido


1Lamentação que David dirigiu ao Senhor,
a propósito de Cuche, o benjaminita.

2 SENHOR, meu Deus, a ti me confio;
livra-me de todos os que me perseguem e salva-me.

3 Que não me arrebatem como o leão
e me dilacerem, sem que ninguém me valha.

4 SENHOR, meu Deus, se fiz algum mal,
se há injustiça nas minhas mãos,

5 se atraiçoei o meu amigo,
se poupei o agressor injusto

6 então, que o inimigo me persiga e me apanhe;
que ele pise no chão a minha vida
e a minha glória tenha de morar no pó.

7 Levanta-te, SENHOR, na tua ira,
e faz frente à fúria dos meus inimigos.
Desperta, ó meu Deus, e decreta a sentença.

8 Junta em redor de ti a assembleia dos povos,
vem presidir a ela do alto do teu trono.

9 O SENHOR julga os povos;
julga-me, então, SENHOR, segundo o meu direito
e segundo a minha inocência.

10 Peço-te: acaba com a malícia dos ímpios;
fortalece os que são justos,
Tu, que perscrutas o íntimo dos corações,
ó Deus de justiça!

11 A minha protecção está em Deus,
que salva os de coração sincero.

12 Deus é um justo juiz,
que, a todo o momento, pode castigar.

13 Se o ímpio não se converter,
pode afiar de novo a sua espada,
retesar o arco e apontar a seta:

14 contra si prepara armas de morte,
das suas flechas faz tições ardentes.

15 Pode conceber a maldade,
gerar a iniquidade e dar à luz a mentira.

16 Abre um fosso profundo para os outros,
mas cai na cova que ele mesmo fez.

17 A sua malícia recairá sobre a sua cabeça,
e a sua violência, sobre a sua fronte.

18 Louvarei o SENHOR pela sua justiça
e cantarei o nome do Deus Altíssimo.

Sem comentários: