5 de março de 2013

Rezando o Evangelho de hoje - Mt 18,21-35

.
.
 

 

Senhor,

como gostamos nós que nos perdoem as nossas faltas!

Mas como nos custa tanto perdoar as faltas dos outros!

Ensina-nos o perdão, Senhor, fruto do amor.

Amen.
.
.

2 comentários:

António Mexia Alves disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
António Mexia Alves disse...

Quem, de facto não ama, não sente a necessidade de perdoar e, mais, de ser perdoado porque, a falta de amor está sempre associada ao egoísmo e amor próprios e, quem assim é, não se apercebe do mal que faz, logo, não necessita ser perdoado, nem lhe ocorre perdoar o que, na sua opinião, são ofensas que os outros lhe fazem e que, quase sempre, são apenas diferenças de pontos de vista.